Livro “Quando o Som Bate no Peito” faz barulho ao colocar em palavras as emoções de um show ao vivo

Obra compila 34 resenhas sobre shows internacionais, além de 140 fotos — mais da metade coloridas —, de nomes como Dylan, Paul McCartney, Rolling Stones, Buddy Guy, Deep Purple, Black Sabbath

Grings Camila Gonçalves.png

Lançado em 8 de junho, o livro Quando o Som Bate no Peito (Memorabilia, 224 páginas), do jornalista, escritor e produtor cultural Márcio Grings, segue fazendo barulho. A coletânea com 34 resenhas repletas de informações sobre os artistas e impressões do autor, tem ganhado a atenção da mídia. Jornais como Correio do Povo, Jornal do Comércio e Zero Hora dedicaram materiais em suas páginas para falar sobre a obra. Já rádios como FM Cultura, Gaúcha, Guaíba e Putz Grila também abriram espaço para o autor no dial.

Entre as coberturas internacionais contempladas no livro estão Bob Dylan, Paul McCartney, Rolling Stones, The Who, Roger Waters, Eric Clapton, Buddy Guy, Deep Purple, Black Sabbath, entre tantos outras. Além dos relatos, a publicação tem cerca de 140 imagens, mais da metade destacadas em um álbum colorido. Os cliques foram feitos por 18 fotógrafos — alguns com passagens por importantes veículos de imprensa.

Quando o Som Bate no Peito soa agora ainda mais pesado, como um solo improvisado de bateria. Em sua essência, o livro já é histórico. Documento de uma época”, afirmou o jornalista e fotógrafo Fábio Codevilla, que contribuiu com várias imagens para o livro, durante evento virtual de lançamento

Lançamento da Memorabilia Store, Quando o Som Bate no Peito destaca 71 imagens coloridas encartadas em um libreto de 40 páginas em papel couchê. Os fotógrafos que colaboraram com o livro são: Adriana Franciosi, Ana Bittencourt, Camila Gonçalves, Carlos Macedo, Cris Santoro, Ericson Friedrich, Fabiano Dallmeyer (in memoriam), Fábio Codevilla, Fábio Mattos, Gika Oliva, Isadora Neumann, Juliana Pozzatii, Lauro Alves, Pablito Diego, Rafael Cony, Ton Müller, Yuri Weber e Zé Carlos de Andrade. 

Adquira Quando o Som Bate no Peito neste link, que leva ao hotsite desenvolvido pelo designer Giovani Faganello. 

Repercussão:

Além das experiências de Grings, Quando o Som Bate no Peito traz bastante da história do rock e do blues, ao contextualizar as bandas e artistas nas resenhas. Outra função importante do livro é servir como um catálogo de shows internacionais no RS”.

William Manske, Zero Hora

“O resultado é um livro que se move com a mesma dinâmica de um bom show de rock, evocando diferentes emoções pelo caminho — e abrindo caminho para ousadias, como não poderia deixar de ser”.

Igor Natusch, Jornal do Comércio

Please follow and like us:

Leave a Reply

RSS
Follow by Email